Notícias
Corpo de Bombeiros terá batalhão especializado em Atendimento Pré-Hospitalar

Minas Gerais terá um Batalhão do Corpo de Bombeiros especializado em atendimentos de urgência e emergência. O serviço de Resgate da Região Metropolitana de Belo Horizonte vai contar com uma equipe de bombeiros especializados em Atendimento Pré-Hospitalar (APH), o que vai refletir no melhor atendimento à população.

Além de melhorar a prestação do serviço, com bombeiros especializados nesse tipo de ocorrência, o objetivo de criação do Batalhão de Atendimento Pré-Hospitalar (BAPH) é melhorar o gerenciamento das Unidades de Resgate, concentrando-as em áreas e períodos com maior demanda de ocorrências. O processo de criação foi formalmente iniciado este mês, com a nomeação de uma comissão permanente que dará início aos processos administrativos e procedimentos necessários. A previsão é de que a Unidade inicie suas atividades no dia 2 de julho deste ano, tendo como sede administrativa a antiga sede do Pelotão Padre Eustáquio, na região Oeste da capital.

Somente no ano passado, o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais atendeu a mais de 118 mil ocorrências de urgência e emergência, ou Atendimento Pré-Hospitalar (APH), que correspondeu a 34% do total dos chamados. A especialização na área de APH já vem sendo idealizada desde 2012, ano em que o CBMMG formulou uma Instrução Técnica para a criação de um Pelotão específico para os atendimentos de Resgate. Mas a ideia só começou a tomar forma durante a preparação para a Copa do Mundo, quando vários bombeiros fizeram uma requalificação na área e ganhou mais consistência com a realização, no início de 2015, do primeiro Curso de Instrutor em Técnico de Emergências Médicas.

O Coronel Maurício de Lima Ramos, gestor do projeto de criação do Batalhão, afirmou que “com o crescimento da demanda por serviços de urgência e emergência e o real aumento do número de acidentes e da violência urbana viabilizam a criação do Batalhão de Atendimento Pré-hospitalar no CBMMG, cujo objetivo principal é estabilizar a vítima de forma eficaz, rápida e com uma equipe preparada para atuar em qualquer ambiente e removê-la para uma unidade hospitalar.”

O que vai mudar?

Além de criar uma estrutura de supervisão selecionada e dedicada somente à área de urgência e emergência, o BAPH vai otimizar o trabalho das equipes que atuam nos Batalhões. Hoje, o Oficial Bombeiro responsável pelo serviço do dia cuida dos diversos tipos de ocorrências atendidas pelo Corpo de Bombeiros, como socorro, incêndios, salvamentos e resgate. No Batalhão de APH, o responsável será um Oficial que comandará uma equipe com conhecimento específico nos diversos tipos de atendimentos pré-hospitalar.

A previsão é de que 130 bombeiros integrem o BAPH. Os militares serão oriundos dos três Batalhões da região metropolitana de Belo Horizonte, escolhidos por sua experiência na área e credenciados para pilotar viaturas de Resgate. A prioridade será para aqueles que possuem o Curso de Técnico em Emergências Médicas ou que já passaram por treinamentos de requalificação em APH.

Atualmente, em Belo Horizonte, Betim e Contagem rodam, por dia, de três a cinco Unidades de Resgate. Com o Batalhão de APH, todos os dias, seis viaturas e seis Moto-Resgates estarão disponíveis para os atendimentos. Para diminuir o tempo de chegada até o local de atendimento e descentralizar o trabalho, as Unidades de Resgate continuarão concentradas nos antigos Batalhões, mas eles deixam de ser responsáveis pelo serviço, ficando a cargo do Batalhão de APH a administração do efetivo e dos recursos materiais.

As equipes serão divididas em três pelotões que serão distribuídos nos turnos com concentração do maior número de atendimentos e, dessa forma, a Instituição otimiza seus recursos humanos e amplia o número de pessoas atendidas. Os militares também passarão por instruções semanais visando atualizá-los e prepará-los cada vez mais para a realidade do trabalho operacional de Resgate.

Bombeiros e Samu

A criação do Batalhão de APH reforçará a parceria com o Samu-BH. A mudança em relação aos chamados será apenas na inclusão de uma regulação médica, ou seja, um médico estará trabalhando no Centro de Operações de Bombeiros (Central 193) recebendo os chamados e repassando para os Bombeiros ou para o Samu de acordo com a peculiaridade de cada caso.

Fonte: Corpo de Bombeiros MG

Comentar

* campos obrigatórios