Notícias
Justiça de SP manda libertar PM que matou ambulante em tumulto na Lapa

Crime-de-homicídio-praticado-por-policial-militar-em-desfavor-de-civis-definição-de-competência

O Tribunal de Justiça de São Paulo de São Paulo concedeu na sexta-feira (19) liminar revogando a prisão preventiva do soldado da Polícia Militar Henrique Dias Bueno de Araújo. Acusado da morte do ambulante Carlos Augusto Muniz Braga, o policial estava detido no presídio militar Romão Gomes, na Zona Norte de São Paulo. Ele deve ser solto no final da tarde ou começo da noite desta segunda-feira (22).

A decisão é da juíza Eliana Cassales Tosi de Mello, da 5ª Vara Criminal de Justiça. A magistrada levou em consideração o fato de o PM ter domicílio fixo em São Paulo, ocupação lícita e não ter maus antecedentes.

Henrique Araújo foi preso em flagrante após disparar à queima roupa contra o camelô, durante uma fiscalização de combate a produtos piratas, na Rua Doze de Outubro, na Lapa, Zona Oeste da capital, na quinta-feira (18). Várias testemunhas registraram a morte do ambulante com os aparelhos celulares.

Depois da prisão, o soldado passou a responder processos nas Justiças comum e militar. Como o Ministério Público de São Paulo apresentou denúncia à Justiça contra o policial por homicídio doloso (dolo eventual), o processo na Justiça militar foi extinto, de acordo com a própria assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça Militar.

G1

Comentar

* campos obrigatórios