Magno Malta conclama o Brasil a repudiar FHC por defender legalização da maconha

magno maltaPresidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa Permanente da Família Brasileira, Magno Malta usou a tribuna do Senado Federal, na noite desta terça-feira, para conclamar o povo brasileiro a repudiar a declaração do ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, na Rede Globo, defendendo a mudança na legislação e nos bons costumes da sociedade permitindo o uso indiscriminado da maconha por pessoas de todas as idades, como acontece em outros países, tendo como referência a incomum Amsterdã na Holanda.

Ao defender a legalização da maconha no Brasil, Fernando Henrique Cardoso gerou uma polêmica no seio da família brasileira. “O ex-presidente além de fazer apologia ao consumo de droga, mostrou total falta de conhecimento da realidade deste Brasil de fronteiras abertas, com vizinhos que produzem maconha e cocaína que matam nossos jovens. É um intelectual filosofando, que teve a oportunidade de resolver este sério problema, mas não apresentou eficiente política social voltada para os verdadeiros valores humanos”. Lembrou Magno Malta.

Antes de iniciar o pronunciamento no plenário, Magno Malta convidou o senador Aécio Neves (PSDB/MG) para um debate. Mesmo com ausência do colega, o senador do Espírito Santo instigou para saber o posicionamento do PSDB, cujo integrante expoente da sigla defende a legalização da maconha. “Esta é a ideologia do partido tucano? Questionou Malta.

“Não queremos o Brasil com praças cheias de jovens doentes, bêbados, drogados e abandonados, como na Holanda, referência do ex-presidente. Foi uma grande infelicidade. Mas vamos fazer um grande esforço de coragem para refutar este discurso insano, sem noção de valores e cruel com as famílias que passam por este problema. Deus não vai permitir que o nosso país vire um esgoto de gente drogada”, reforçou Magno Malta, considerado o porta voz no Senado Federal contra a legalização da maconha.

Buscando fôlego para o grande ato público que será realizado nesta quarta-feira, na Esplanada, em frente ao Congresso Nacional, senador Magno Malta esteve duas vezes com o Ministro da Educação buscando esclarecimento sobre uma possível retomada do debate do Programa Escola Sem Homofobia, conhecido como kit gay, que foi suspenso pela presidenta Dilma Rousseff.

Para Magno, a Frente Parlamentar em Defesa da Família que no inicio da noite, esteve com o Ministro Fernando Henrique Haddad ficou satisfeita com o rumo da pauta. “Ficou decidido que esse material contra homofobia não fique circunscrito a esse tipo de discriminação. Acho válido o estabelecimento de uma política de tolerância e paz nas escolas”, defendeu Haddad. O ministro explicou, ainda, que foram dadas orientações pela Presidência da República para que o programa trate também de assuntos como tolerância religiosa, questões étnico-raciais e de gênero. O senador Magno Malta concordou. “Achamos excelente a campanha contra a homofobia, mas é uma questão de cidadania incluir outros temas como religião e raça”, declarou.

No pronunciamento incisivo, Malta exemplificou “quantos garotos evangélicos que querem casar virgens são discriminados nas escolas? Quantos negros são vitimas de preconceitos nas salas de aulas e muitos meninos obesos são ridicularizados e não tem nenhuma orientação para evitar estas agressões. Respeitamos os homossexuais, respeitamos o livre arbítrio, mas não podemos ser reféns da minoria”

Logo após a reunião com a Frente Parlamentar Mista em Defesa da Família Brasileira, o MEC divulgou uma nota comunicando que o ministro Fernando Haddad garantiu que a presidenta Dilma Rousseff quer pactuar com a Frente Parlamentar a possibilidade de uma campanha nacional de combate a qualquer tipo de preconceito, a proposta foi uma iniciativa dos próprios parlamentares colocando ponto final neste assunto, que segundo pesquisa causa desconforto em 87% da população, contrária a interferência do Governo na mudança de costumes das famílias.

Inspirada nos bons princípios, Magno Malta registrou o dia internacional de combate ao tabaco parabenizando a todos que enfrentaram esta luta e venceram. “Não é fácil vencer a nicotina, mas também não é difícil, tanto que já evoluímos com uma tomada de consciência coletiva e estamos mudando este quadro, com uma geração mais forte e saudável”.

O senador Sergio Petecão (PMN/AC) foi mais uma voz que apoio Magno Malta. “Era presidente da Assembléia Legislativa do Acre quando Magno Malta, com destemida coragem foi ao meu Estado e prendeu o coronel e ex-deputado federal Hildebrando Pascoal, o maior narcotraficante e assassino que atravessou as fronteiras do mal mesmo legitimado pelo voto popular. Exercer esta luta em defesa da família é um exemplo impar no Brasil e merece todo o meu respeito. Parabéns senador Magno Malta, nesta quarta-feira estarei de mãos dadas com o senhor neste grande ato público em Brasília contra o ‘pacotão’ de ameaças a maior estrutura da sociedade que é a família” finalizou a homenagem ao presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa da Família Brasileira.

O ato público pacifico, começa às 15 horas, em Frente ao Congresso Nacional, com a expectativa de mais de 30 mil pessoas, em plena quarta-feira de rotina de trabalho.

Fonte: Assessoria de Imprensa