Notícias
Grito de Socorro

socorroApós publicar o post “Profissão ou escravidão?”, recebi um e-mail e prometi ao autor que iria publicá-lo noblog, como forma de mostrar a escravidão à qual estamos submetidos. Substitui todas as palavras que pudessem identificar o policial militar por “?”. Meus comentários são desnecessários, pois o texto fala por si só.

Venho aqui “gritar” um pedido de socorro. Socorro é a palavra certa para isso.Trabalho no Destacamento PM de ?, pertencente ao ? BPM, e estamos vivendo aqui uma tremenda INJUSTIÇA, uma gigante INCONSTITUCIONALIDADE. A historia se resume assim:

Foi editado pelo Comando da ? RPM, um memorando que altera a escala de serviço dos destacamentos para 5/1, ou seja, 5 dias de trabalho de 8 horas, por 01 dia de folga.

Até aí, não há tantas lágrimas. O problema que o memorando trás que nenhum policial militar poderá se deslocar da cidade onde esta lotado durante os 5 dias de serviço. Isso quer dizer que eu, que sou casado, tenho um filho de 2 anos, pai de familia, e que moro apenas a 8 KM de ?, não posso me ausentar da cidade durante os 5 dias de serviço, mas apenas 01 dia por semana.

Senhor, eu imagino o peso do que estou escrevendo para o senhor. Estamos sendo obrigados a ficar “encarcerados” nos Destacamentos. Gostaria de poder ter gravado uma ligação da minha esposa chorando perguntando se eu não podia ir para casa, que ja havia 3 dias que eu estou em ?. Nossa gloriosa PM?, que tanto me orgulho, está nos maltratando, muito mais do que a lei maltrada o mais perverso criminoso.

Caso o senhor desejar, eu envio o memorando para o senhor. Estou pedindo, estou implorando para o senhor interceder por nós. Eu acredito no senhor. E quero ressaltar ao senhor que estou me identificando nessa mensagem, porém, se alguém souber dela, eu sofrerei repressalias. O senhor sabe que é verdade! Peço, sobre a proteção de DEUS, que minha identificação fique apenas com o senhor. Que essa mensagem funcione como uma mensagem anônima, pelo medo que eu tenho de ser perseguido.

O memorando refere-se ao problema que o Estado vizinho sofreu com a criminalidade, porém a própria PMERJ não esta mais impondo nada aos integrantes daquela co-irmã.

Nós, aqui do interior, ao qual já sofremos com escalas monstruosas, com faltas de recursos, estamos tendo que ficar presos no trabalho. Por favor, olhe por nós. Procure saber desse memorando, desse sobre-aviso, dessa escala. Eu fico dias sem ver meu filho de 02 anos! E eu não moro a 100 km de onde trabalho, não moro a 400 km. Moro numa cidade vizinha de 8 km de distancia. Parece um absurdo, mas é a realidade que estamos vivendo. Tem dias nessa escala de 5 por 1, que não tenho folga. Um exemplo é nesse proximo sabado, onde eu trabalharei das 20h de sabado até as 04h do domingo. Porem no domingo é minha folga, só que como eu posso dizer que estou “folgado no domingo”, sendo que estarei de trabalho até as 04h? E depois das 4h da manhã? Sera que eu conseguirei passar o domingo com minha familia, ou terei que dormir para ja na segunda-feira, voltar de serviço as 10h da manha?

Senhor, tudo isso esta provado na escala pregada nos celotex dos destacamentos da nossa região. É um absurdo o que estamos vivendo. Estou implorando por um dos mais simples direitos constitucionais: o direito de ir e vir. O direito de se locomover em teritorio nacional em tempos de paz. Por favor, mantenha o sigilo do meu nome. ESTAMOS SOFRENDO!

FONTE : Universo Policial – Blog da Renata

Comentar

* campos obrigatórios